A Sagração da Primavera

Tive contacto com este clássico da música erudita quando vi pela primeira vez o filme «Fantasia», de Walt Disney (1940). Vi esta obra prima da Disney em 93 e para quem viu o filme, se bem se lembram, a música entrava na parte em que se mostrava a formação da Terra e o aparecimento dos dinossauros.

«A Sagração da Primavera» é a obra mais conhecida e também mais controversa do compositor russo Ígor Stravinski (1882 – 1971). A obra, composta em 1913, é um ballet em dois actos que conta a história de uma jovem que pertence a uma tribo celta e, segundo um ritual primitivo, tem de ser sacrificada a um Deus da Primavera, com o objectivo da tribo conseguir boas colheitas naquele ano.

A «Sagração da Primavera» causou grande polémica aquando da sua estreia em Paris, devido ao facto de ter desafiado todas as convenções dos ballets da época, ao nível do tema, da orquestração, da coreografia, etc. Não sendo eu um admirador confesso de ballets, e sem nunca ter visto esta peça ao vivo, tenho de admitir que a seguir ao «Quebra Nozes» de Tchaikovksy (talvez o melhor ballet de sempre), este é o que mais gosto.

Aqui fica um excerto:

About these ads